quinta-feira, 16 de novembro de 2017

CORVINA EM CASCAIS (com video)

     Uma das coisas que me fascina na pesca, é a imprevisibilidade do que pode acontecer a cada saída. Nunca sabemos quando vamos apanhar o peixe das nossas vidas, ou quando vamos dar de caras com uma espécie que não era o alvo. E foi o que aconteceu, depois de almoço lá me fiz à pista com o Zé Maria em busca de uns robalos. Mal saímos da marina reparámos que andavam muitos pássaros um pouco mais por fora dos nossos pesqueiros habituais, e que, embora não estivessem a picar, o seu comportamento demonstrava que andavam atrás de algo. Aproxima-mo-nos, e começámos a sondar enquanto corricávamos. A sonda acusava muita actividade, com muitos peixes de bom tamanho perdidos a meia água. Andámos uma meia hora a percorrer aquela zona sem nenhum sinal nas ponteiras que nos animasse, e comecei a pensar que o peixe ou não estava para comer, ou teríamos que mudar de técnica, pois assim não estava a resultar.
       A certa altura, reparámos que tinhamos acabado de fazer uma razia a um aparelho mal sinalizado  e muito à superfície, que nos apareceu de repente. Parei e começámos a recolher muito devagar para as amostras não ficarem presas, quando a do Zé está quase a chegar ao barco, ZZZZZZZZZ, começa a levar linha, era um bom peixe, mas não parecia ser de robalo. O que seria? Era uma corvina com pouco mais de 4 kg. Enquanto o zé desenpaixava o peixe e amostra do chalavar, ponho um black minnow da mesma cor da amostra que tinha acabado de facturar, Lanço, e mal começo a recuperar... Pimba, já tinha uma ferrada. Começo por aguentar o peixe, até termos o chalavar disponível, e ao fim de uns minutos tinhamos outra em seco. Esta um pouco maior, com 5,5 kg.
     Continuámos a seguir as manchas com o vinil, mas mais nenhuma quis nada connosco. Voltámos mais para terra e ainda consegui apanhar um robalote quileiro, mas ficámos por ai. Nunca tinha apanhado uma corvina, nem nunca fui fazer uma pescaria direccionada a elas, não eram corvinas monstruosas, mas deu-me uma grande pica e um enorme prazer. E ainda por cima mesmo aqui, no meu quintal, quando menos esperava!

VIDEO

                      
Ficha técnica
Cana: Barros Zero soft pitch 2.10
Carreto: shimano stradic 5000FJ
Multi:Sufix 832 - 0.18mm
Leader:Fiiish perfect link medium 0.345mm 
Amostra: Black Minnow 140 fluo jaune/blanc 40g.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

MANHÃ CHEIA DE ACÇÃO (com video)

     Mais uma saída matinal, desta vez com o meu amigo Diogo (Malvas), que veio comigo de barco em busca dos labrax´s pela primeira vez.  O tempo não era muito, tinha que estar em casa as 10h. mas com sorte poderiam andar por lá uns perdidos com fome. A hora marcada era as 6.30, mas com aqueles atrasos clássicos de não se ouvir tocar o despertador, só lá para as 7h e pouco  é que arrancámos. Vou direito ao pesqueiro que ultimamente me tem dado mais alegrias, e ao aproximar-me deixo cair o vinil, Black Minnow 140 na cor nacional brown back, e vou corricando enquanto me aproximo do pesqueiro. Mal fecho o cesto ferro logo um, mas era muito pequeno pelo que foi devolvido. A sonda marcava muito peixe, e com alguns de bom tamanho. O céu estava bem nublado, quase parecia que ia chover, o vento era zero e a corrente era pouca ou nenhuma, ideal para ficar mesmo em cima da mancha marcada pela sonda. Vinil para o fundo e outra captura, este um pouco maior mas foi também fazer companhia aos amigos.
      Vinil novamente no fundo, e toca a animar. pimba, outro ferrado, mas este já era maior, já dava uma boa luta. Quando o peixe esta a chegar a superfície, e consigo ter contacto visual com ele, apercebo-me que mais 5 ou 6 robalos do mesmo tamanho estão a segui-lo. ficámos logo todos entusiasmados pois andava por ali muito peixe, e da maneira que eles estavam a ferrar as capturas não iriam ficar por ali de certeza.
     Bem dito, bem feito, as ferragem e desferragens não paravam, fosse a deixar o vinil ir ao fundo ficando a dar toques sem mexer no carreto, como a lançar e a recupera-lo mais à superfície. Durante aproximadamente duas horas o peixe não parava de dar sinal. o Diogo, como tinha sido a primeira vez que tinha ido aos robalos de barco estava maluco, e a pensar que era sempre assim (era bom, era). Ainda por cima, infelizmente o peixe parecia que não queria nada com ele, mas ainda conseguiu apanhar dois para fazer o gosto ao dedo.
Mas a hora de nos irmos embora estava quase a chegar, e não podia mesmo adiar o meu compromisso (vontade não me faltava), e ainda por cima o peixe continuava a ferrar o que ainda custava mais.
      Ao todo apanhámos 12 robalos, sendo que 3 deles foram devolvidos. para o que ia ser uma curta saida
No dia seguinte, com mais tempo, lá voltei eu, com as condições praticamente iguais, mas ... nem uma escama! a pesca tem cada coisa...

VIDEO

                      
Ficha técnica
Cana: Barros Zero soft pitch 2.10
Carreto: shimano stradic 5000FB
Multi:Sufix 832 - 0.18mm
Leader:Fiiish perfect link medium 0.345mm 
Amostra: Black Minnow 140 Brown back- offshore 40g.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

ROBALOS COM VINIL (com video)

Mais uma saída matinal de barco em busca de uns robalos.                                     Ainda mal se conhecia o dia, e já andava a animar vinis para lá e para cá. Ao fim de meia dúzia de lançamentos, ferro um peixe que me deu uma boa luta. Já tinha saudades. Cabeçadas para aqui, cabeçadas para ali, ora puxa ele, ora agora puxo eu, mas lá o consegui aproximar do barco. Era realmente um belo e grande robalo, e tinha vendido bem cara a sua derrota. Ou pelo menos pensava eu que estava derrotado, pois quando me preparava para pôr o chalavar, dá uma sacudidela e desferra-se. Lá foi ele todo contente e aliviado para o fundo, e lá fiquei eu, lixado e a resmungar. Continuei os lançamentos, com a esperança que se deixasse enganar novamente, o que, claro, não voltaria a acontecer.
Depois de muitos lançamentos e de muitos pesqueiros percorridos, já mentalizado que o mais certo era ir para casa de mãos a abanar, lá consegui ferrar um mesmo já a chegar ao barco. Quase nem tive de utilizar o carreto para o pôr em seco, tal era a sua proximidade. É importante animar a amostra mesmo até ao fim, já tive boas surpresas mesmo aos meus pés e em situações que jamais imaginaria ser possível andar por lá peixe. Ainda apanhei mais um, mas era pequenote e voltou para junto dos seus amigos.

VIDEO

                     
Ficha técnica
Cana: Shimano Nasci 2.40 MH
Carreto: shimano stradic CI4 4000 
Multi:Sufix 832 - 0.15mm 
Amostra: Black Minnow 12 Bleu- offshore 25g.
Peso: 1.140 kg.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

MAIS UMA VOLTINHA, MAIS UM PEIXINHO! (com video)

      Ainda os primeiros raios de sol não tinham aparecido, e já eu andava a animar amostras. A sonda indicava que o peixe andava por lá, e com a presença de alguns com um bom tamanho. Mas, sinal deles que é bom, nem um. Começo por mudar de cor, e depois de tamanho do vinil, experimento uns jigs, exploro diferentes camadas de água, e nada. A enorme presença de pilado, que se passeava junto do barco, levava-me a crer que teriam estado toda a noite a encher a barriga, e por isso, ignoravam as minhas tentativas de os enganar.
     Enquanto nos estávamos a recolocar no pesqueiro, deixei o vinil de molho e fui corricando com ele. Quando o barco parou, deixei afundar um pouco o vinil, e mal começo as animações, sinto logo umas cabeçadas. estava um ferrado. Pareceu-me logo ser um bom peixe, o que se veio a confirma, era um belo robalo com praticamente 2 kg. Mais umas passagens no mesmo sitio da ferragem e noutros pesqueiros onde marcava bastante peixe,  mas sem sucesso, eles não estavam mesmo para comer. Era hora de voltar, mas não de mãos a abanar!

 

VIDEO

                      
                      
Ficha técnica
Cana: Shimano Nasci 2.40 MH
Carreto: shimano stradic CI4 4000 
Multi:Sufix 832 - 0.15mm 
Amostra: Black Minnow 14 jaune blanc/fluo - offshore 40g.
Peso: 1.930 kg.

terça-feira, 25 de julho de 2017

NOVOS CAMINHOS

     Tenho andado afastado do blog nos últimos tempos, mas nem por isso ando afastado das pescarias. Ultimamente quase não tenho ido fazer spinning a partir da costa, alem do peixe andar afastado dos meus spots habituais, decidi apostar mais numas saídas de barco. Apesar de ser um tipo de pesca que costumava fazer de vez em quando, só este ano comecei a dedicar-me mais a fundo. Muitas horas em busca de pontos quentes onde os nossos amigos estejam com mais regularidade, tentar perceber a influencia da meteorologia nos diferentes pesqueiros, e na vontade dos robalos atacarem, e nas diferentes técnicas a utilizar para cada situação. Ao fim de alguns meses já começam a surgir os primeiros padrões, e com bons resultados.

     O peixe tem marcado presença, e apesar de muitos peixes pequenos ,lá vão aparecendo uns quileiros para não desanimar. Os sarrajões também apareceram em força, com alguns a cima de quilo a darem uma luta bastante engraçada. Mas da maneira que apareceram, também desapareceram.

     Aqui ficam alguns videos e algumas fotos das ultimas capturas.

                       

domingo, 12 de março de 2017

TEAM FIIISH PORTUGAL 2017

Foi com grande prazer que aceitei o convite para fazer parte do Team Fiiish Portugal para 2017!
Que seja um ano cheio de pescas Fiiishes para todo o team, e obrigado ao Armando pelo convite!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

BALANÇO 2016

     Já vem um pouco fora de horas o balanço de 2016, mas mais vale tarde do que nunca!
     Este ano, com o nascimento da minha filha, fiquei mais condicionado na disponibilidade para ir à pesca, como também tive de alterar as horas a que ia. Poucas foram as investidas que fiz durante a noite (que é a altura do dia que prefiro para os enganar), acho que os dedos de uma mão chegam e sobram  para as contar. Mas também apanhei peixes a horas que nunca tinha apanhado, cheguei a apanhar uns peixes já para lá do meio dia. Mesmo assim, não me posso queixar, das poucas vezes que fui pescar, poucas foram as vezes em que não fiquei com as luvas a cheirar a peixe. Nem que fosse um juvenil que vinha cá fora dizer-me um olá e voltava para a água.  E ainda apanhei o meu maior robalo, com um pouco mais de 4,500kg, e que me deu um enorme prazer lutar com ele.
     No geral foi um bom ano, apesar de muito peixe miúdo, ainda deu para sacar uns bons peixes e travar umas boas lutas! Que 2017 seja pelo menos tão bom como 2016! 
    
    

SPINNING
 EMBARCADA

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

LULAS AO SPINNING

    
     Há aqueles dias em que saímos de casa cheios de vontade em apanhar um robalo para o jantar, mas que depois na prática acabamos por jantar umas lulas. Já tinha apanhado algumas ao trolling, mas em spinning costeiro foi a primeira vez. Foram duas, mas poderiam ter sido quatro, não fossem duas delas terem-se desferrado já mesmo perto de mim.
     Foi uma agradável surpresa, e é sempre bom quando voltamos para casa sem ser de mãos a abanar.
    
     

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

ESTREIA DA COR NACIONAL BLACK MINNOW (com video)

     Mais um fim de dia junto ao oceano atlântico em busca dos nossos amigos labrax´s. O vento era muito e as águas estavam com uma cor para o acastanhado. Não eram as melhores condições mas fui até um pesqueiro diferente dos habituais.  A fezada não era muita. Primeiro lançamento, e quando a amostra já estava quase em seco, a roçar por cima das pedras,  ferro um. Com a ajuda do mar fica em seco quase sem dar luta. Começava bem, mas... ficou por ai, não senti mais nada. Esqueci-me de pôr a Gopro a carregar, e por isso não filmei a captura.
     Uns dias depois, nova investida ao final do dia. O mar até estava com um bom aspecto, mas peixe nem vê-lo. zagaia para aqui, amostra rígida para ali, vinil para acolá, e quando troco para a cor brown back, logo ao primeiro lançamento, um dos pequenotes atirou-se a ela. Depois de fazer umas posses para a Gopro lá voltou para o seu habitat porque ainda não tinha idade para andar cá fora.

VIDEO

                
Ficha técnica
Cana: Cinnetic cinergy 300MH
Carreto: shimano stradic fj 5000
Multi:Sufix 832 - 0.20
Amostra: black minnow 120 brown back
Peso: 1.060 kg

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

NOVO RECORD!! (com video)

     Depois de um verão cheio de trabalho e com poucas oportunidades de ir fazer uns lançamentos  (ora estava bom e não podia, ora podia e estava mau), e acabado de chegar de umas mini férias em Sagres, não podia ser brindado de melhor maneira no regresso a casa.
     Depois de duas tentativas sem sentir um único peixe, à terceira foi de vez. Céu nublado, maré vazia a coincidir com o pôr do sol, e o mar com umas boas espumas e uma boa cor. Estavam as condições perfeitas para andarem por lá uns robalos.  Zagaia preparada, e pimba lá para o fundo. No quarto lançamento, quando a amostra passou junto de uma pedra, senti uma prisão mas soltou-se. Fiquei na duvida se teria sido peixe ou pedra, dou umas maniveladas e volto a sentir um toque mas desta vez tive mesmo a certeza que era peixe. E dos bons, fazia uma força danada e não queria vir nem por nada. Como estava com confiança no material, apertei bem com ele para não lhe dar muito espaço de manobra.
    
Já tinha percebido que era um bom peixe, mas só quando o pus em seco é que percebi que realmente era o maior robalo que alguma vez tinha apanhado. Aquele peixe com que já sonhava a algum tempo. Pesava 4.560 kg.
     Com a pescaria mais do que feita, lá continuei com os lançamentos, e pouco tempo depois, nova ferragem. Este era bem mais pequeno, e foi com facilidade que o consegui pôr em seco. 
    
Fiz mais uns lançamentos até ficar quase de noite, mas sem sinais de vida.
     Finalmente consegui apanhar um robalo acima dos 4 quilos, uma meta que já perseguia a algum tempo. Agora, venham os 5 quilos!!

VIDEO 

 

                   
Ficha técnica
Cana: Cinnetic cinergy 300MH
Carreto: shimano stradic CI4 FA 4000 
Multi:Sufix 832 - 0.20
Amostra: williamson gomame 35g. SPP
Peso: 4.560 kg. - 76cm, 1.740 kg.